segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A evolução dos quadrinhos Disney no Brasil (2008-2012) - Parte 1

Parte 01 – OS FATOS

Era junho de 2008. Depois de ter ensaiado uma retomada do colecionismo e leitura de quadrinhos Disney em 2004, comprando algumas edições antigas de almanaques e especiais, eu fui analisar a situação atual dos quadrinhos Disney no Brasil, títulos disponíveis e possibilidades de assinatura.
Entrei então no site da abriljovem e outros e tive uma grande decepção: tínhamos 5 títulos mensais regulares em banca (Tio Patinhas, Mickey, Donald, Zé Carioca e Aventuras Disney). Além deles, tínhamos a coleção O Melhor da Disney – Obras completas de Carl Barks, uma iniciativa louvável, fantástica e excepcional, dentre tantas outras palavras que podem descrever essa coleção, que se encerraria em outubro daquele ano.
Fazendo um adendo, eu tinha comprado parte dos volumes de OMD em 2007, assim como a outra a meu ver excelente coleção, que infelizmente teve uma vendagem bem baixa: Mestres Disney. Tinha adquirido também A Saga do Tio Patinhas, de 2007.
Voltando a 2008, mês de junho mais precisamente, percebi que tínhamos uma tiragem reduzida dos gibis mensais, com distribuição setorizada e que várias tentativas anteriores de emplacar títulos de personagens “menores” nas bancas tinham sido canceladas (Urtigão, Pluto, Sobrinhos do Donald, Margarida, Peninha, Pateta e Minnie, essa a mais duradoura e que chegou a chegar na fase que chamarei de “fase das inéditas”.
Vi ainda que várias outras tentativas anteriores da editora não tinham dado certo. Para exemplificar, alguns títulos da década que a meu ver eram muito bons mas não vingaram foram: Pato Donald Extra (2 ed. – 2005), Mickey X e Donald Super (2 ed. – 2003), Grandes Aventuras Disney (1 ed. – 2003) e Novo Disney Especial (13 ed. – 2001 a 2004).
Em 2005, as mensais iniciaram a fase que chamo de “fase das inéditas”. Uma mudança editorial “matou” alguns título, lançou Aventuras Disney, com 80 páginas mesclando republicações e inéditas, e  “reformou” Tio Patinhas (80 pgs), Zé Carioca (50 pgs), Mickey (50 pgs) e Pato Donald (50 pgs), que mantiveram apenas HQs inéditas. Minnie também foi mudada para este formato, mas logo foi cancelada, em 2006.
A distribuição ainda era péssima. Eu morava em Maceió na época e simplesmente não havia QUALQUER gibi Disney na banca. Até OMD era difícil de achar! Para os estados “de fora do eixo” havia edições duplas de 3, 4 meses atrás (ou mais) ao preço equivalente ao preço de capa de uma edição, porém esses pacotes eram raríssimos no meu estado.
Imaginem a situação que eu me encontrava: queria ler gibis Disney atuais, mas não conseguia comprá-los nem nas bancas de minha cidade nem na loja da editora ou outros sites virtuais. Tinha que recorrer ao ML, e, por sorte, em uma das compras me deparei com um grande vendedor, que por algum motivo conseguia me vender gibis que ainda não estavam nas bancas a 50% do preço de capa e frete por sedex grátis. Desta forma, comprei 90% dos gibis da “fase das inéditas” dos gibis regulares e completei as coleções de AVD e OMD.
Mesmo na internet eram poucos os canais em que podíamos entrar em contato com verdadeiros fãs Disney. No início da década havia a comunidade “Quadrinhos Disney” no Orkut, do artista Fernando Ventura, havia também um grupo de discussão no Yahoo, gerenciado pelo Paulo Ricardo Montenegro (responsável pelo site gibihouse (http://www.gibihouse.xpg.com.br/) e contribuinte do fórum gibihouse (http://gibihouse.forumeiros.com/f44-mestres-disney)) e outras iniciativas bem pontuais.
Aos poucos, outros colegas foram criando blogs e apresentando matérias e curiosidades sobre os quadrinhos Disney, que contribuíram e muito para a retomada do gosto do público por esse tipo de leitura. No fim da matéria são apresentados alguns dos blogs que, a editora agradecendo ou não, com certeza contribuíram para despertar a curiosidade de milhares de pessoas pelos quadrinhos Disney.
Voltando ao histórico de evolução das HQS na década, no fim de 2008, de uma maneira bem discreta, surgiu Disney Big, pensada como edição única, trazendo histórias do denominado “arquivo digital” da Abril, ou seja, histórias que já haviam sido recoloridas digitalmente e publicadas há pouco no Brasil. Com 300 páginas a um preço de R$ 12,95, o gibi foi um sucesso, e em 2011 se tornou bimestral, entrando inclusive no pacote de assinaturas de quadrinhos Disney.
Ainda em dezembro de 2008 foram lançadas as edições de Férias (originalmente PD, ZC, Mickey e TP), gibis com 32 páginas e custando R$ 1,95, daquele tipo que a mãe entra com a criança na banca de revista e compra numa boa, por serem baratinhas, estimulando seu filho a ler. Na leva #2 dessas revistas estreou Pateta Férias, e após 3 edições ZC Férias foi descontinuado.
Em setembro de 2009 estrearam as edições Disney Extra!. Da mesma forma que Disney Férias, as edições Extra também foram um sucesso, e contavam com TP, Mickey, ZC e PD em revistinhas de R$ 1,95 e 32 páginas.
Havia um lançamento programado para o início de 2009, Gibiteca Disney, que foi cancelado, talvez tendo sido substituído por Disney Big. Ainda na onda de cancelamentos, em agosto Aventuras Disney foi descontinuada, depois de 48 edições e da publicação de sagas épicas, como “Mágicos de Mickey”, “Dragonlords” e “Donald Duplo”, além da comemoração de aniversários.
Quando muitos pensaram que estávamos no fim do mundo, ops, dos quadrinhos Disney, eis que aparecem vários especiais. O ano de 2009 marcou a republicação de “A História e Glória da Dinastia Pato”, em 2 volumes imperdíveis em formato americano. Houve ainda a retomada de publicações especiais em volume único, com capa cartonada, lombada quadrada e papel offset, com “DuckTales – a Odisséia de Ouro”, “Superpato 40 anos” e “As Grandes Aventuras de Mickey”, esse homenageando os 20 anos da morte de Paul Murry.
Em 2010, os fãs queriam algum tipo de homenagem, uma edição especial em comemoração aos 60 anos do gibi do Pato Donald no Brasil. A edição especial não veio... veio uma coleção, com 40 volumes!!! Clássicos da Literatura Disney parece ter sido um sucesso absoluto de vendas, o que fez a Abril lançar coleções no mesmo formato nos anos subseqüentes. Chegaremos lá...
Ainda em 2010, houve o ressurgimento de um dos melhores gibis Disney: Natal Disney de Ouro, só com republicações. No fim do ano, foram lançados 10 almanaques, aparentemente com o intuito de testar o mercado desse tipo de publicação. Com uma seleção bem legal de histórias, porém com muitos problemas físicos (capa e páginas descolando), as revistas, de 84 pgs, passaram no teste, e foram anunciadas como bimestrais (TP, ZC, PD e Mickey) e semestrais (Margarida, Pluto, Peninha, Pateta, Super-herois e Prof. Pardal) a partir do meio de 2011.
Fechando 2010 com chave de ouro, foi anunciada talvez a melhor das novidades desses 5 anos: a volta da assinatura dos quadrinhos Disney no Brasil.
Duas revistas ainda apareceram em 2010 e 2011, mas não fizeram tanto sucesso: Minnie Pocket Love (164 pgs, 12,5 x 18,5 cm, R$ 7,95) e Pura Risada com o Mickey (68 pgs, 17 x 26 cm, R$ 7,95) não emplacaram e foram canceladas após 3 edições.
Uma outra editora apresentou edições maravilhosas em 2010 e 2011 também. A On Line Editora apresentou três maravilhosas coleções com os clássicos Disney em quadrinhos, que retrataram, no total, 43 adaptações de produções Disney do cinema para os quadrinhos.
Em 2011, mais edições novas, muitos acertos e alguns erros. Tivemos nesse ano:

Epic Mickey – Edição especial de 132 páginas, formato 19 x 25,5 cm e com capa cartonada, que custou R$ 14,95. Nessa edição, um encontro de Mickey com o coalho Oswald. Edição simplesmente tocante, com acabamento bem legal.

Disney Gigante – Edição em preto e branco, de com 240 páginas, formato 21 x 30 cm e preço de R$ 14,95, que parece não ter agradado aos fãs, já que foi cancelada e era prevista como semestral. As histórias, porém, foram maravilhosas, retratando o dia a dia de grandes bandidos de Patópolis.

Coleção Disney Gol – 4 edições quinzenais, de 164 páginas a R$ 8,95, com HQs de futebol e textos em comemoração à Copa América. Parece ter sido um sucesso, já que a Abril planeja uma série nos mesmos moldes referente às Olimpiadas de Londres/2012.

As Novas Aventuras de Donald Duplo – 2 edições, com 160 páginas e preço de R$ 9,95, que complementaram as primeiras aventuras do agente secreto, publicadas em Aventuras Disney.

Escoteiros Mirins - Sempre Alerta – Para comemorar os 60 anos dos Escoteiros Mirins, a Abril lançou uma edição especial, com mais de 200 páginas e uma capa pra lá de especial, a R$ 12,95. Na análise de pontos positivos e negativos analisarei essa edição.

Disney Jumbo – Para finalizar o ano com chave de ouro, Disney Jumbo chegou trazendo uma seleção de histórias de várias escolas e períodos, em suas mais de 500 páginas, a um preço camarada de R$ 15,95.

Ainda em 2011, uma coleção bem especial: pela primeira vez, todas as HQs de Pateta faz História são publicadas no Brasil, nos moldes da coleção CLD, em 20 volumes.
Junto às edições especiais, houve um fortalecimento das edições mensais, com o surgimento de Pateta e Minnie, ambas com 50 páginas e no mesmo formato de Mickey e Pato Donald. Além disso, Disney Big, conforme já dito, virou bimestral e entrou em um dos pacotes de assinatura, os almanaques começaram a sair regularmente e Natal Disney de Ouro teve a segunda edição nessa nova fase.
Na linha de adaptações e revistas da Pixar, tivemos ainda o lançamento de Piratas Do Caribe Navegando em Águas Extremas, em edição única, e edições duplas de adaptações de Toy Story, Carros e Os Incríveis.
Para 2012, as notícias são as melhores possíveis. Em entrevista ao programa HQ & Cia, da AllTV, o editor das HQs Disney no Brasil, Paulo Maffia, sinalizou várias novidades, algumas já confirmadas inclusive. São elas:

Walt Disney Apresenta – Esse título será bimestral e mesclará edições com conteúdo inédito e edições com republicações. Já estão confirmados para 2012 as seguintes edições: A História de Patópolis, Pateta Repórter, A Patada, Sir Lock Holmes, Donald Duplo e Mickey e as Crônicas do Planeta T. Simplesmente imperdível!!!

 Essencial Disney – Começando em março, essa coleção é inspirada na espanhola Série Oro (http://coa.inducks.org/publication.php?c=es/SO), e trará edições de 100 páginas temáticas, em volumes como “Donald e seu Carro 313” e “Tio Patinhas versus Patacôncio”. Também imperdível!!! 

Disney Olímpico e Coleção As Origens – Para comemorar as olimpíadas deve rolar uma coleção nos moldes de Disney Gol. Além disso, é planejada uma série com a origem de diferentes personagens Disney. Imperdível (também)!!!

Zé Carioca – Maffia confirmou ainda que a volta de histórias inéditas do Zé produzidas no Brasil DEVE acontecer em 2012.

Enfim, é impossível negar a evolução, já que ela é visível. No próximo post eu trarei números que comprovam como tudo mudou... pra melhor!



7 comentários:

  1. Grande matéria - em todos os sentidos. Fiel, verídica e informativa. Parabéns!

    Só uma curiosidade: sabemos que Disney JUMBO já estava pronto desde 2011, mas na minha revista consta lá no expediente a data de 2012.

    Será que eles querem que a revista seja considerada um lançamento de 2012?

    Será que só na minha revista tem essa data?

    Excelente! Abraços. FAbiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabiano.

      Interessante isso que vc falou, não tinha notado realmente. Enfim, alguns de nós aproveitaram a revista já em 2011, então faz de conta que é de 2011, rsrsrs.

      Valeu amigo

      Excluir
  2. Massa meu, vou adicionar teu blog no meu ali.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tiago, espero que goste do que vem adiante tb.

      Excluir
  3. Matéria completa e de agradável leitura. Vc escreve muito bem amigo sergiokid. Fiquei imaginando a trajetória das publicações enquanto lia a postagem e concordo com tudo que vc disse. Gostei de Minnie Pocket Love mas o preço era exorbitante. Estarei acompanhando... Abs. Paulo.

    ResponderExcluir
  4. boa materia. tbm sou amante dos quadrinhos disney desde a infancia. guardo todas e possuo varias da decada de 80.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa matéria. Começarei minha coleção Disney agora, re-aproveitando alguns gibis da década de 60 do meu pai.

    ResponderExcluir